Dr. Oliver Thomson- Words Matter

Informações Gerais

 

Este workshop oferece uma oportunidade aos terapeutas manuais (osteopatas, quiropráticos e fisioterapeutas) de aprofundarem o seu conhecimento na dor, disfunções, no modelo biopsicossocial (BPS) e na sua aplicação no plano clínico: tratamento e tomadas de decisão em pacientes com dor lombar. 

 

Muitas das teorias utilizadas pelos terapeutas manuais são sustentadas em pressupostos biomecânicos e biomédicos sobre dor ou disfunção, mas pode ser um desafio (e confuso!) para os profissionais integrarem estes modelos numa abordagem contemporânea de BPS baseada em evidência. Aproveitando a pesquisa mais recente nos campos da psicologia da dor lombar, comunicação e terapêutica de movimento, a formação fornecerá uma estrutura baseada em evidência para a aplicação e integração de competências na terapia manual, estratégias de comunicação, raciocínio clínico e técnicas de reabilitação baseadas em exercícios. Esta formação integra teoria com prática, discussão de grupo, apresentação de casos clínicos e permitirá aos participantes responder adequadamente às rápidas mudanças e desenvolvimento dentro do campo da lombalgia. Os participantes irão abraçar com confiança a incerteza associada à avaliação e tratamento de condições agudas e crónicas de dor lombar no contexto de uma abordagem BPS.

 

Este curso fornece aos terapeutas uma estrutura de raciocínio clínico de forma a utilizarem

abordagens terapêuticas contemporâneas, incluindo a  educação na dor, reafirmação e reformulação cognitiva, entrevista motivacional e desenvolvimento de uma forte aliança terapêutica. Serão apresentadas estratégias eficazes de comunicação em pacientes com dor lombar, em conjunto com maneiras de re-enquadrar e re-interpretar positivamente a compreensão e percepção de dor.

 

 

Objetivos de aprendizagem

 

  • Revêr a aplicação do modelo BPS no tratamento da dor lombar.

  • Revêr a literatura teórica e pesquisa  científica sobre fatores psicológicos relevantes na dor lombar (por exemplo, medo- evitação, medo relacionado com a dor, catastrofização, auto-eficácia, crenças sobre dor) e como a linguagem pode influenciá-los.

  • Destacar a importância da linguagem ao interagir com os pacientes e fornecer

  • estratégias para usar linguagem própria, enquadrada na avaliação manual / física e tratamento.

  • Fazer uma avaliação crítica de como as explicações dadas pelo profissional de saúde, podem criar um impacto negativo ou positivo na natureza multidimensional da dor e recuperação do paciente.

 

  • Introduzir estratégias para comunicar mensagens úteis sobre a dor lombar o que pode contribuir para melhorar o quadro e o nível de envolvimento do paciente.

  • Introduzir estratégias motivacionais no contexto de prática manual / musculoesquelética.

  • Introduzir estratégias para comunicar os achados dos exames imagiológicos, de forma reconfortante, em vez de preocupante.

  • Ajudar a integrar o tratamento de terapia manual e a avaliação, dentro de uma base e estrutura biopsicossocial.

 

 

Local

 

Lisboa

 

Data

 

23 Novembro

 

Horário

 

9.30- 16.30

 

Nota: consoante o número de formandos, a formação pode ser repetida no dia seguinte

 

Pagamento

180 € (data limite de pagamento até  30 de Outubro)

 

 

Formador

Dr. Oliver Thomson, PhD, MSc, BSc (Hons), DO

 

Faz prática clínica como osteopata em Londres, onde trabalha com uma equipa multidisciplinar, com um foco particular no tratamento da dor lombar e lombociatalgia.

Completou o doutoramento em osteopatia na Universidade de Brighton, onde explorou o raciocínio clínico dos osteopatas e publicou extensivamente nesta área. Além de seu papel clínico, o Dr. Oliver também é professor adjunto na University College of Osteopathy (UCO), onde coordena o programa de doutoramento e lecciona métodos de análise e pesquisa científica. É considerado uma das principais autoridades em Osteopatia, raciocínio clínico, prática baseada em evidência e pesquisa qualitativa. É um defensor da importância do desenvolvimento destas áreas para garantir segurança e cuidados osteopáticos de qualidade para os pacientes, e como tal, continua a estar envolvido em trabalhos de investigação e no ensino pós- graduado em vários Países.